Refis da Crise

Um blog de Omar A. Leite Melo

Ministro e Frente querem o Supersimples no Refis

Posted on | março 23, 2015 | 2 Comments

A inclusão das empresas do Supersimples no programa de parcelamento de dívidas do Refis deverá ser apreciada também na discussão sobre o projeto do Executivo que aumentará o aumento do teto de receita empresarial anual do Supersimples, de R$ 3,6 milhões para R$ 7,2 milhões.

Essa proposta foi defendida ontem pelo ministro da Micro e Pequena Empresa da Presidência da República, Guilherme Afif Domingos, e também pelo presidente da Frente Parlamentar Mista da Micro e Pequena Empresas, Jorginho Mello (PR-SC).

Segundo a Receita Federal, há quase 500 mil empresas que devem cerca de R$ 14 bilhões do Supersimples para pagar em 60 meses. Com o Refis, esse prazo poderá passar a até 180 meses e facilitar a quitação.

“É hora de rever essa questão, porque o fisco não vai perder nada, porque vai dilatar o prazo de pagamento das dívidas para as micro e pequenas empresas optantes do Supersimples”, disse o ministro ao DCI. “Esse segmento das micro e pequenas empresas é que está segurando a geração de empregos”, garante Afif.

Fonte: DCI-SP

NOSSO COMENTÁRIO: voltaram a falar na inclusão dos débitos do Simples Nacional no refis da crise (da Copa). Será que vão conseguir desta vez?

Comments

2 Responses to “Ministro e Frente querem o Supersimples no Refis”

  1. Luciana
    março 24th, 2015 @ 22:19

    Poxa vida e nada de consolidação?

  2. Luciano
    abril 7th, 2015 @ 15:12

    Fiz adesão ao refis em 2013 e até agora nada de consolidação. Venho pagando as parcelas corrigidas, mas acho que levo uma desvantagem, pois, o montante do débito é atualizado todo mês o que faz abrir uma vantagem grande em relação aquilo que venho pagando.
    Queria que vocês comentassem…

Leave a Reply





  • Simulador

    Cursos e Palestras sobre o Refis da Crise

  • Contrate!

    Consultoria e Assessoria no Refis da Crise

    Cursos e Palestras sobre o Refis da Crise

  • O que mais citamos

  • Siga-nos!

    Siga o Refis da Crise no Twitter